REDES SOCIAIS AMIS Facebook Twitter Youtube

AMIS



Preço de gás para comércio e indústrias cai 4% neste sábado - 07/04/2017



 A Petrobras anunciou nessa quinta-feira (6) a redução do preço do gás liquefeito de petróleo (GLP) vendido em botijões maiores do que 13 kg e a granel. A medida beneficia principalmente consumidores comerciais e industriais. A queda será de 4%, com vigência a partir deste sábado (8).


Não haverá mudança no preço do GLP vendido em botijões de 13 kg, que sofreu reajuste de 9,8% no dia 21 de março. 


A decisão interrompe um movimento de alta no preço do combustível durante 2016, quando a estatal promoveu dois aumentos. “É prematuro prever qual o impacto para o consumidor, pois não sabemos ainda qual será o percentual de reajuste para cada ponto de entrega”, afirmou o presidente do Sindicato das Empresas Distribuidoras de GLP (Sindigás), Sérgio Bandeira de Mello. Ele lembra que o mercado é livre, e que a composição final dos preços depende de políticas de cada empresa.
 

Preços diferenciados. Desde 2002, a Petrobras pratica preços diferentes para o GLP dependendo do uso final, como política para controlar a inflação. O preço do gás envasado em botijão de 13 kg ficou congelado até setembro de 2015, quando foi reajustado em 15%. Já o produto voltado para consumidores industriais, em cilindros maiores ou a granel, teve mais reajustes.



O Sindigás vê sinais de que a estatal está trabalhando para reduzir a diferença de preços entre os dois produtos. "Esperamos que seja o fim dos preços artificiais”, afirmou o presidente da entidade. Segundo ele, porém, mesmo com a redução anunciada nessa quinta-feira (6), o preço do GLP para uso industrial permanece cerca de 85% superior à cotação do Golfo do México. “A Petrobras ainda está cobrando muito acima do preço do mercado internacional, porque ainda é monopolista na logística de importação”, reclamou o executivo.



Composição de preço. Segundo a Petrobras, mais da metade do valor do gás vendido ao consumidor final fica na rede de distribuição e revenda. A estimativa de composição de preços feita pela estatal no mês passado é que 54% do valor fiquem nesta ponta. ICMS, PIS/Pasep e Cofins, que são tributos estaduais e federais, engolem outros 20%. A Petrobras, em si, responde por apenas 26% da formação final do preço.

 

Não é igual

 

4% será a queda no preço do gás em botijões maiores que 13 kg e a granel

9,8% foi o aumento no preço do gás em botijões de 13 kg, o mais comum nas casas.

 


Empresa tem que pagar IPTU no porto

 

BRASÍLIA. O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nessa quinta-feira (6) que a Petrobras deve pagar o IPTU de um terreno de propriedade da União que a empresa usa. No processo, a Petrobras alegou ter direito à imunidade tributária recíproca por ser arrendatária da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) de um terreno no porto de Santos, pertencente à União.



No julgamento, ficou decidido que esse tipo de imunidade não é aplicável às sociedades de economia mista. A decisão tem repercussão geral – deve ser aplicada por juízes de todo o país, em processos semelhantes.(Fonte: O TEMPO)

 


ONDE ESTAMOS

Rua Levindo Lopes, 357 - 6º andar - Funcionários Belo Horizonte - MG

EMAIL

amis@amis.org.br

LIGUE

(31) 2122-0500
Facebook Twitter Youtube



© Copyright 2013 - AMIS - Associação Mineira de Supermercados. Todos os direitos reservados.